notícias

  • A Manifestação na Comunicação Social

    Em declarações ao JN, Júlia Azevedo, Filipe Abreu e Beatriz Fontinhas explicam as razões de uma greve e manifestação, assim como futuras formas de luta.

     

    Lê a notícia no JN

    Júlia Azevedo, presidente do Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE) garante que sozinhos ou em plataforma vão avançar com ação judicial contra o Governo, a partir de janeiro, por incumprimento da lei do Orçamento do Estado e na Organização Internacional do Trabalho. Uma queixa no tribunal europeu só pode avançar depois de uma deliberação nacional

     

    Beatriz Fontinhas, educadora de infância, 56 anos de idade, 28 de serviço - está no 3.º escalão e só em 2021, com 59 anos, progredirá para o 4.º. A aposentação, estima, deve chegar a meio da carreira. Além da saída do ministro pede ao presidente da República que olhe pelos seus colegas professores porque, elogios bonitos - como o de dizer que a classe portuguesa é a melhor do mundo - não chega

    A seu lado, Filipe Abreu, professor de Português de Barcelos também pedia a demissão de Brandão Rodrigues. Tem 48 anos, 24 de serviço e está no 3.º escalão desde 2005 e só em 2019 atingirá o 4.º, de onde não sabe quando sairá porque o 5.º está condicionado por vagas

     

     

     

     

     

    ler artigo
  • Manifestações Regionais no Norte - Viana e Póvoa na Imprensa

     

    VIANA DO CASTELO

    Dia 4 de outubro às 11.30 na Praça da República reuniram-se dezenas de Educadores/Professores para se manifestarem contra a ausência de negociação do Ministério da Educação e  intransigência em não contabilizar o tempo total de serviço fazendo assim cumprir a Lei.

    Lê a notícia no Minho Digital

     

    Em declarações ao Minho Digital, o Secretário Regional de Viana do Castelo, professor Paulo Lima resumiu a importância, para toda a carreira, da recuperação do tempo de serviço:

    «esta recuperação de tempo de serviço é fundamental para toda a classe docente, tendo em vista a progressão na carreira, permitindo atingir os escalões mais elevados, a conversão de tempo de serviço para aposentação, ou a sua utilização para ultrapassar os 4.º e 6.º escalões». Lembrou ainda que «os nove anos, quatro meses e dois dias de congelamento, os quatro anos perdidos de transição entre carreiras e todos os anos em que ficamos parados nos 4.º e 6.º escalões, perfazem no mínimo um total de 16 anos que não são contabilizados». No seu entender «na prática, é quase impossível um docente atingir os escalões médios da carreira». Recordou, também, que Maria de Lurdes Rodrigues e Isabel Alçada «fizeram-nos acreditar que o ECD, regulado pelo dec lei 75/2010, ia de encontro ao que os professores queriam, acabando com a carreira de professor titular... mas discretamente puseram dois muros gigantescos para quem já tinha sofrido, com tanta falcatrua, na transição entre carreiras!»

    O dirigente sindical realçou que «sabemos todos quem são esses super lesados professores!»  Referiu, ainda, que «nas dezenas de plenários realizados, os professores deixaram bem claro que consideram uma grande falta de respeito a difamação da imagem dos professores, junto da opinião pública, levada a cabo quer pelo Governo, quer por algumas figuras políticas!»

    Lê a notícia completa AQUI

     

     

    Póvoa de Varzim

    Lê o artigo

    Professores manifestam-se na Póvoa para exigir a Governo que cumpra a lei

    Pedro Meira, do SIPE de Póvoa/V. Conde, lembra que a recuperação do tempo de serviço está estipulada na lei do Orçamento do Estado de 2018. “O Governo voltou atrás com o que está na lei e os professores estão revoltados. Nós só queremos que esse tempo seja contabilizado, até pode ser de forma fracionada, não precisa de ser já amanhã. Mas nós temos direito a atingir o topo das nossas profissões e não vamos ficar sem esse tempo”

     

     

    ler artigo
  • TUDO SOBRE A MANIFESTAÇÃO DO DIA 5 DE OUTUBRO - Próximas lutas aprovadas

    Manifestação em Lisboa reuniu mais de 50 000 mil professores.

    Em resposta à ausência de negociação e pela recuperação do tempo de serviço, os Professores e Educadores de todo o País responderam com uma grandiosa manifestação. 50 000 docentes desfilaram em Lisboa, numa grande demonstração de força e união.

    Não esmagarão a força da nossa razão. Não baixaremos os braços, lutaremos até ao fim!

     

    Momentos da Manifestação de 5 de outubro de 2018

     

     

    Vê as fotos no Facebook

     

    Foram aprovadas as seguintes ações e lutas:

    1. Relativamente ao 19.º da Lei do OE de 2018, requerer, junto do governo, a negociação do prazo e do modo de recuperar os 9 anos 4 meses e 2 dias;

     

    2. Marcar presença nas galerias da A.R. em 11 de outubro, acompanhando o debate sobre a Petição em defesa da valorização da Educação e dos seus profissionais

     

    3. Solicitar reuniões a todos os grupos parlamentares, nas quais se procurará garantir que irão requerer a apreciação parlamentar do decreto-lei ontem aprovado pelo governo, convergindo na votação dos aspetos essenciais, designadamente, a recuperação total do tempo de serviço, e se procurarão, também, compromissos relativamente ao OE para 2019, que deverá consagrar verba para que se inicie a recuperação faseada daquele tempo de serviço;

     

    4. Apresentar queixa contra o Governo Português junto da a OIT, da Internacional de Educação e da UNESCO por desrespeito por direitos laborais e profissionais dos docentes, incumprimento de compromisso e violação da lei da negociação e da lei do Orçamento do Estado de 2018;

     

    5. Recorrer à via jurídica, quer em representação coletiva e abstrata dos docentes, quer apoiando os que decidam avançar a título individual;

     

    6. Convocar uma Concentração Nacional de Professores e Educadores frente à Assembleia da República, com realização de Plenário Nacional e eventual recurso à greve, para o dia em que o ministro da Educação ali se deslocar para debater o OE para 2019 na especialidade;

     

    7. Enquanto não for garantida a contabilização de todo o tempo de serviço cumprido pelos docentes, a partir de 15 de outubro, estes limitar-se-ão a cumprir escrupulosamente o horário a que estão obrigados, o que implica:

    a)Iniciar uma greve nacional às reuniões para as quais os professores forem convocados, caso não se encontrem previstas na componente não letiva de estabelecimento do seu horário, designadamente reuniões de conselho pedagógico, conselho de departamento, conselho de docentes, conselho de turma e outras, incluindo no âmbito dos novos quadros legais publicados em 6 de julho p.p. (currículos e inclusão escolar). Esta greve incluirá, ainda, as reuniões de avaliação intercalar dos alunos, caso a atividade letiva não seja interrompida para esse efeito;

     

    8. Convocar greve a atividades letivas que se encontrem marcadas na componente não letiva de estabelecimento do horário dos professores, tais como coadjuvação, apoio a grupos de alunos, entre outras;

     

    9. Convocar greve à frequência de ações de formação obrigatórias, impostas pelas escolas ou pelo Ministério da Educação, caso as horas de formação não sejam deduzidas na componente não letiva de estabelecimento do horário dos docentes.

     

    10. Promover processos diversificados de auscultação dos professores, com vista a decidir outras ações e lutas a desenvolver no futuro.

     

    OBRIGADA AMIGO! É UM ORGULHO SER PROFESSOR!

     

     

    ler artigo

concursos

  • Procedimento concursal com vista à constituição de uma bolsa anual de docentes para o exercício de funções no projeto CAFE, em 2019

    Encontra-se aberto o Procedimento Concursal com vista à constituição de uma bolsa anual de docentes para o exercício de funções docentes no Projeto Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (Projeto C.A.F.E.), Timor-Leste, em 2019.   A aplicação para a formalização da candidatura está disponível das 10:00h do dia 23 de outubro de 2018 até às 18:00h do dia 2 de novembro de 2018 (hora de Portugal Continental). Consulta o aviso de abertura e respetivos anexos, bem como outra documentação disponibilizada.   SIGRHE – Timor-Leste Aviso de Abertura (pdf) Anexo I (pdf) Anexo II - Cronograma (pdf) Despacho de constituição do júri (pdf) FAQ (pdf) Nota informativa (pdf) Minuta Declaração de Aceitação de Comunicações e notificações através de correio eletrónico (pdf) Site da DGAE com a informação   Já sabes qualquer esclarecimento adicional liga ou aparece no SIPE mais perto de TI  
    mais informação

Formações

  • Autonomia e Flexibilização Curricular - Baião

    mais informação
  • Caminhos de Santiago - Baião

    mais informação
  • Smartphone e Tablet ao Serviço do Professor

    mais informação
  • CRIAÇÃO DE MATERIAL DE APOIO AO PROCESSO ENSINO - APRENDIZAGEM (EXCEL) - Vila Real

    Local da Formação Agrupamento de Escolas Miguel Torga - Escola Sede Vila Real     Conteúdos Microsoft Excel-Nível I Formatação de texto e células; Criação e utilização de fórmulas simples; Construção de Grelhas de Avaliação e Gráficos.  
    mais informação
  • REGIME JURÍDICO da EDUCAÇÃO INCLUSIVA - CULTURA ESCOLAR PARA A EQUIDADE - POMBAL

    mais informação
  • EDUCAÇÃO INCLUSIVA: MOTIVAR PARA A EXPERIMENTAR PRÁTICAS DE INCLUSÃO

    Conteúdos Introdução da ação; Perspetivas de NEE - abordagem histórica; Integração; Inclusão; Práticas de inclusão; Formação de Professores numa perspetiva de Educação Inclusiva; Competências de avaliação da aprendizagem: contributo para a melhoria da qualidade da educação; A articulação pedagógica do Professor Regular com o Professor de Educação Especial para a inclusaão dos alunos NEE; Estratégias e modelos pedagógicos que contribuem para a promoção da inclusão; Supervisão pedagógica nos processos de inclusão; Conclusão.
    mais informação
  • AUTONOMIA E FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR

    A formação terá lugar à sexta e ao sábado com o seguinte calendário: -Sexta 4 e 11 de janeiro de 2019 (17h30m - 20h30m) - Sábado 5 e 12 de janeiro de 2019 (9h - 13h e 14h - 17h30m) - Sábado 19 de janeiro de 2019 (9h - 14h)
    mais informação
  • Entroncamento ou Torres Novas-GOOGLE DRIVE E FORMULÁRIOS DO GOOGLE

    mais informação
  • APRENDIZAGEM DE INGLÊS NO 1º CICLO - Braga

    mais informação
  • TÉCNICAS DE EXPRESSÃO, AQUECIMENTO, DESCONTRAÇÃO DA VOZ E COMUNICAÇÃO - Nível 2 - Porto

    mais informação
  • CRIAÇÃO DE MÚSICA ATRAVÉS DE MATERIAIS RECICLÁVEIS - Porto

    mais informação
  • Smartphone e o Tablet ao Serviço do Professor

    9/11 17h30m - 21h 30m 10/11 - 9h - 17h 24/11 - 9h -17h 15/12  - 9h - 17h 
    mais informação
  • Rope Skipping Uma nova modalidade desportiva na escola

    mais informação
  • Técnicas de Expressão, Aquecimento, Descontração da Voz e Comunicação Oral - Lisboa

    Objetivos • Dotar cada formando de uma melhor aplicação do seu aparelho vocal na comunicação que estabelece oralmente no contacto com os alunos; • Desinibir e desbloquear tensões no ato comunicativo oral que impedem a explicação de matérias ou até mesmo a imposição de regras Conteúdos: • Reconhecimento da Voz Interior e Exterior; • O Gesto como complemento da Voz; • O Ritmo; • O Foco; • A Técnica; • A locução e a dicção; • Debate final. Data: Data a definir      
    mais informação

SIPE TV

Momentos da Manifestação de 5 de outubro de 2018

A Manifestação de 5 outubro 2018 na Comunicação Social

SIPE - Viana do Castelo, Valença e Ponte de Lima

Entrevista Nelson Lima RTP, Reunião ME 11 julho

BALANÇO REUNIÃO ME 11 JULHO 2018

Faz Greve, junta-te a nós, luta, luta, luta...

Entrevistas Manifestação 19 maio 2018

Seminário Comunidades de Aprendizagem - Abertura

Intervenção Júlia Azevedo Manifestação 19 maio 2018

Seminário Escola a Tempo Inteiro Jorge Carvalho

PACC Canelas 25 de março de 2015

Trilho Megalítico

SIPE Providência Cautelar Prova Ingresso

Manifestação de Professores 20 junho 2015